Vamos ao que Interessa!

quinta-feira, 18 de outubro de 2018

E o VAR? Ex-árbitros analisam uso da tecnologia na final da Copa do Brasil

A final da Copa do Brasil entre Corinthians e Cruzeiro, nesta quarta-feira, foi marcada por dois lances definidos pelo VAR (sigla para árbitro de vídeo em inglês). Wagner do Nascimento Magalhães paralisou o jogo por duas vezes para consultar a tecnologia. Nos duas jogadas, o árbitro concordou com o restante dos assistentes e mudou sua opinião. Ele havia deixado o jogo seguir nos dois momentos.

Primeiro, o árbitro marcou pênalti de Thiago Neves em Ralf, uma decisão que gerou bastante discussão. Em seguida, 17 minutos depois, Pedrinho teve um gol anulado por conta do que o árbitro julgou ter sido uma falta de Jadson em Dedé na origem da jogada. 

As decisões de Wagner do Nascimento Magalhães causaram discussão e dúvidas entre torcedores e na imprensa. Thiago Neves realmente derrubou Ralf dentro da área? O tapa de Jadson foi suficiente para derrubar Dedé? O LANCE!conversou e ouviu opiniões de ex-árbitros de futebol a repeito. Confira a segui

José Roberto Wright, ex-árbitro
​"Não houve o pênalti e nem a falta. Jadson fez um movimento que apenas tocou no peito do Dedé, porém, ao mesmo tempo, ele recua o braço para não encostar no jogador do Cruzeiro. A arbitragem no Wagner não foi boa. Foi bem covarde durante a partida. Teve uma atuação muito britânica, travando o jogo o tempo todo. Contatos acontecem a todo momento, se for marcar todas, como esses dois lances, vamos ter faltas o tempo todo.


Leonardo Gaciba, ex-árbitro e comentarista da TV Globo, também comentou os lances no Redação SporTV
"É uma jogada (do pênalti) interpretativa. Pelas imagens que nós temos à disposição, eu não tomaria a mesma decisão que o árbitro tomou. Eu não marcaria a penalidade. É importante saber qual câmera o árbitro viu quando foi conferir o VAR. Diferentemente da Copa do Mundo, aqui as imagens não são geradas pela maior entidade nacional.

Uma das funções é analisar a origem do lance, e Jadson leva a mão ao peito de Dedé. Nesse caso, ele acertou. Porém, Jadson colocou a mão no peito do Dedé e não no rosto, como ele sinalizou. O treinamento deles ainda não é grande e eles também tem pouco tempo".



Paraná Pesquisas: Bolsonaro tem 60,9% dos válidos; Haddad, 39,1%

O candidato ao Planalto pelo PSL, Jair Bolsonaro, lidera a corrida presidencial do 2º turno. É o que mostra levantamento feito Paraná Pesquisas e pela Revista Crusoé e divulgado nesta 4ª feira (17.out.2018). A pesquisa foi contratada empresa de consultoria financeira Empiricus Research Publicações Ltda.
Bolsonaro tem 60,9% das intenções de voto, enquanto seu adversário, Fernando Haddad (PT), aparece com 39,1%. Os números se referem a votos válidos, sem considerar brancos, nulos e indecisos.
Eis os resultados:
No cenário em que são computados as intenções de voto totais, Bolsonaro tem 52,9% e Haddad tem 33,9%. Os indecisos correspondem a 3,8% dos entrevistados, já aqueles que irão votar em branco ou não escolheram nenhum dos candidatos equivalem 9,4%.
A pesquisa (íntegra) foi realizada entre os dias 14 e 17 de outubro de 2018, em 162 municípios brasileiros. O estudo ouviu 2080 eleitores. A margem de erro é de 2 p.p e a confiança é de 95%. O registro no TSE é n.o BR-04446/2018.

POTENCIAL DE VOTO

A pesquisa também perguntou quem votaria com certeza em seu candidato. Os eleitores de Bolsonaro estão mais consolidados do que os de Haddad. Dentre os entrevistados, 44,8% estão decididos a votar em Bolsonaro e 26,5% tem certeza que irão escolher Haddad no 2º turno.
De acordo com o levantamento, 55,2% dos eleitores não votaria de jeito nenhum em Haddad ao mesmo tempo que Bolsonaro tem 38% de rejeição.

Andrés Sanchez admitiu: Agora eu vendi o Rodriguinho. O Balbuena não dava para segurar, porque só renovava daquele jeito. Sidcley não era nosso, o Maycon já vinha negociando, estava apalavrado.

Após a perda do título da Copa do Brasil para o Cruzeiro na noite desta quarta-feira, as atenções do Corinthians se voltam para o Campeonato Brasileiro e o momento é complicado. O próprio presidente Andrés Sanchez admitiu após o jogo que há preocupação com o risco de rebaixamento no Nacional. O Timão ocupa a 11ª colocação com 35 pontos, quatro acima da zona do rebaixamento, faltando nove rodadas para o fim do campeonato. 

- Lógico que preocupa, estamos a três, quatro pontos do Z4. Estamos tristes pela derrota, e temos oito, nove finais no Brasileiro pela frente. E já estamos montando time para 2019, vamos montar time forte - afirmou Andrés, em entrevista ao lado do técnico Jair Ventura. 

Andrés também foi perguntado sobre o desmanche do time no meio da temporada e prometeu chegada de reforços para 2019. Ele disse que o elenco já vem sendo pensado e será forte para a temporada que vem.

- Com certeza eu assumo totalmente a culpa. Agora eu vendi o Rodriguinho. O Balbuena não dava para segurar, porque só renovava daquele jeito. Sidcley não era nosso, o Maycon já vinha negociando, estava apalavrado. Perdemos jogadores importantes, vai acontecer ano que vem, acontece todo ano. O Corinthians não ia vender ninguém, mas vem proposta e fica impossível de segurar o jogador. Se segura, ele fica insatisfeito. Temos de ter capacidade para correr atrás de novos jogadores - analisou Andrés. 

- Não dá para se pagar R$ 600 mil, R% 700 mil para jogador. Ou a gente entende isso ou vamos quebrar. De novo, dou parabéns à torcida,, porque sabe que a gente tinha dificuldade técnica., mas mesmo assim chegou na final, e sabe que ano que vem a gente vem forte de novo - completou.

O presidente do Corinthians aproveitou para fazer críticas à arbitragem, que recorreu ao VAR em duas situações: marcação de pênalti em Ralf, convertido por Jadson, e na anulação de gol de Pedrinho. 

- O Corinthians votou contra o VAR, não foi contra o VAR, foi pela situação que nos colocaram, valores. Tanto que hoje muita gente fala que foi, que não foi. Se é para interpretação, não tem de ter VAR. Não adianta ter VAR e ter esses problemas novamente. Não vou criticar a arbitragem, já fui prejudicado, ajudado, mas não pode a falta do Jadson ser no peito e dar no rosto, como o pênalti do Thiago, é interpretativo - afirmou.

O próximo compromisso do Corinthians é no próximo domingo contra o Vitória em Salvador, pela 30ª rodada do Campeonato Brasileiro. 

quarta-feira, 17 de outubro de 2018

Os benefícios da prática de atividade física regular

Que praticar exercícios físicos pode trazer diversos benefícios para a saúde e melhorar consideravelmente o bom funcionamento do organismo, isso todo mundo sabe, não é mesmo? Contudo, os benefícios das atividades físicas só são tangíveis e realmente percebidos no dia a dia quando levamos a prática à sério, garantindo uma frequência semanal regular.

Segundo o educador físico Felipe Cruz, a prática de atividade física não pode ser encarada com um hobby e, sim como um hábito constante. “Assim como nos alimentamos, bebemos água e escovamos os dentes todos os dias, devemos fazer da atividade física algo regular para que os benefícios sejam efetivos”, diz Felipe.

Benefícios da atividade física regular

• Melhora nossas estruturas ósseas e musculares
• Reduz a pressão arterial
• Combate o stress (e todos os hormônios ruins ligados a ele)
• Alivia tensão muscular
• Proporciona bem estar psicológico, por nos afastar dos problemas cotidianos
• Age contra doenças como osteoporose, diabetes, risco de infarto
• Aumenta a autoestima
• Melhora a postura
• Aumenta a imunidade
• Age contra a obesidade
• Melhora dores

Prática regular x prática eventual

A diferença principal entre a prática regular de atividade física e a eventual está no processo de adaptação do corpo após iniciar uma atividade física regular. Por isso, quando praticamos atividade física eventualmente corremos o risco de acabar prejudicando o corpo.
“Quando iniciamos uma atividade física, e ela passa a fazer parte da nossa rotina diária, o corpo tende a se adaptar ao esforço físico e, como consequência, traz todos os benefícios citados anteriormente. Já quando fazemos uma atividade física eventual, a cada atividade física, o corpo tende a sofrer mais com dores, inflamações e, até mesmo, com lesões, pois ele entende com uma certa estranheza essa movimentação “fora do normal”, explica Felipe.

Sedentário x ativo

O sedentarismo é definido como a falta de atividade física e inúmeros fatores podem gerá-lo, mas, segundo o educador físico Felipe Cruz, o motivo principal são as reponsabilidades diárias que consomem a maior parte do nosso tempo.
“Como consequência, gera um cansaço que não nos motiva a fazer nenhum tipo de atividade física. Porém, caso você deseje mudar sua situação, o que deve ser feito é procurar a orientação de um profissional para que possa te auxiliar na atividade física escolhida e, preferencialmente, consultar um médico para saber se não existe nenhum tipo de restrição em relação à sua saúde”, afirma.

O verão pede mais prática de atividade física!

Com a chegada do verão, cresce o interesse das pessoas em praticar uma atividade física. Entre os principais motivos estão: o calor, que não dá vontade de ficar em casa; e a oportunidade de mostrar mais o corpo.
Por isso, o educador físico sugere a prática de atividades físicas ao ar livre, que são favorecidas pela estação. “Assim, é possível curtir lugares diferentes, respirar um ar mais puro, e o melhor: ter contato com o sol, usufruindo de toda a vitamina D que podemos absorver”, complementa Felipe.

Para treinar no verão, lembre-se de praticar atividade física nos horários em que a emissão de raios UV está mais amena: pela manhã, das 6 às 10 e, à tarde, das 16 às 20hs. Além disso, independente da estação ou da atividade física escolhida, não deixe de fazer exercícios físicos regulares, pois, com toda certeza, conquistará mais saúde e vitalidade.

Cuidados com exercícios

• Hidrate-se bem e prefira a água! A hidratação antes, durante e depois da atividade física melhora a performance, evita cãibras e ajuda no controle da pressão arterial. Redobre os cuidados no verão, pois transpiramos muito mais!
• Alimente-se antes do seu treino. Escolha boas fontes de carboidratos (batata doce, mandioca, pão integral, macarrão integral, cereais integrais, como o arroz integral) para que não lhe falte energia, e uma boa fonte de proteína.
• Evite frituras ou refeições que contenham muitas gorduras (carnes gordas, leite e ou seus derivados integrais) antes de se exercitar. Isso porque, a gordura retarda o processo de digestão, podendo prejudicar seu desempenho.
• A alimentação depois do treino deve ser adequada ao seu objetivo, uma boa estratégia nutricional pode fazer toda a diferença. Portanto, nada de ficar horas sem comer depois de treinar!

Ao L!, Bandeira de Mello afirma: 'Clubes não mandam em nada no futebol brasileiro'

A partir de janeiro do ano que vem, Eduardo Bandeira de Mello não será mais o presidente do Flamengo, cargo que ocupa desde 2013 - dois mandatos. Próximo ao adeus ao cargo máximo do Rubro-Negro, o mandatário recebeu o LANCE! e realizou uma avaliação do trabalho realizado neste período à frente do clube da Gávea.

Crítico do calendário futebol brasileiro, que considera 'irracional', Bandeira aponta algumas soluções e garante que dirigentes de outras agremiações têm visões parecidas, mas ressalta lamenta o fato de os clubes não terem voz frente as entidades que comandam o esporte.

- Vários clubes têm a mesma visão do Flamengo, mas isso não depende dos clubes. Os clubes não mandam em nada no futebol brasileiro. Os clubes só têm de obedecer e ficar calado - disse.

O presidente entrou ainda em diversos outros assuntos, como a Primeira Liga (competição que foi um dos idealizadores), contratação que achou mais emblemática neste período, eleição presidencial do Flamengo, eleição para deputado federal - concorreu pela Rede - e até realizou uma projeção de como imagina o Rubro-Negro daqui a uma década.

Sobre a negociação envolvendo o meia Lucas Paquetá, ao ser questionado, afirmou que ainda não poderia dar maiores detalhes (nota da redação: a entrevista foi realizada na última quinta-feira. Nesta quarta, o mandatário e dirigentes darão uma coletiva).

Esse longo bate-papo, realizado no CT Ninho do Urubu, em Vargem Grande, Zona Oeste do Rio de Janeiro, pode ser conferido a seguir. 
LANCE!: O que vem à sua cabeça quando pensa nos seis anos à frente do Flamengo?Eduardo Bandeira de Mello: A primeira coisa que vem à minha cabeça foi o dia da minha posse, aquele discurso que fiz, em que falei que o Flamengo estava em uma situação caótica, que além do passivo financeiro, que era quase que insuportável, tínhamos um passivo ético, moral, e que nós não íamos medir esforços para tentar mudar essa situação, ainda que sacrificando, eventualmente, objetivos na área esportiva e social. Na hora que estou acabando, a primeira coisa que eu penso é no que falei quando estava começando. Acho que, neste sentido, tudo que foi falado naquele discurso foi cumprido e acho que ultrapassamos. Hoje, o Flamengo é tido como exemplo por seus torcedores, ganha todos os prêmios de transparência, de gestão esportiva. E ele, realmente, mudou de patamar. Ainda que não tenhamos conquistado todos os títulos que gostaríamos, o clube mudou de patamar na área esportiva, passou a disputar as primeiras colocações quando, antigamente, disputava para não ser rebaixado. Avançou na infraestrutura, antigamente se treinava em um local péssimo, com barracão, lama para os jogadores pisarem... Hoje, temos um CT que é um dos melhores do Brasil e mês que vem vamos inaugurar o que, seguramente, é o (departamento de futebol) melhor do Brasil e esse aqui vai ficar para a base. 

O trabalho de base também vinha sendo negligenciado. Cheguei a ouvir a estupidez de que o Flamengo tinha de parar de investir na base e comprar jogadores prontos. Claro que isso não podia ser levado a sério e, hoje, o Flamengo tem um trabalho de base que está se aproximando àquele que tinha lá no começo dos anos 80, quando éramos referência mundial. Na últimas três Copinhas, ganhamos duas, jogadores convocados para a Seleção Brasileira desde 11 anos até 20. Tudo isso garante que o Flamengo, daqui para frente, venha a ser forte, que a gente venha a disputar tudo e sempre. Sem falar nas outras coisas todas que estão ligadas ao futebol também, como o centro de excelência e performance, o que temos de equipamentos e recursos humanos nessa área é muito mais do que se podia imaginar em 2013. A área de inteligência e mercado também. Isso para falar de futebol. Se falarmos de patrimônio, resolvemos a questão do Morro da Viúva (prédio que pertencia ao Flamengo, no bairro do Flamengo, Zona Sul do Rio), estamos com os dois centro de treinamentos, um pronto e o outro engatilhado, melhorias na Gávea, apesar de ter muita coisa a se fazer ainda. 

No esporte olímpico, temos o esporte olímpico do Flamengo praticamente autossuficiente. Programa "Anjo da Guarda" é um programa que deu certo e está nos ajudando a bancar os esportes olímpicos, totalmente voltado à formação de atletas, ao invés de contratar medalhões que nem vinham treinar no clube. Acho que, nesses cinco anos e nove meses, evoluímos muito. Claro, poderíamos ter feito muito mais, mas saio com a consciência tranquila de que foi feita muita coisa e acho que deu para considerar uma boa etapa.

Torcida do Corinthians faz festa em treino aberto antes de final contra o Cruzeiro;


terça-feira, 16 de outubro de 2018

Flamengo se torna o sétimo clube com mais vitórias na história do Brasileiro; veja o top 10

De volta à briga pelo título do Brasileiro após o triunfo por 3 a 0 sobre o Fluminense, no último sábado, o Flamengo se tornou o sétimo clube com mais vitórias na história do campeonato, igualando o Atlético Mineiro, que apenas empatou com o América na rodada.
O êxito no clássico foi o de número 559 da equipe em 1357 jogos pela competição nacional. O Galo, entretanto, precisou de menos partidas para atingir esta marca: 1324.
Apesar da derrota para o Internacional, o São Paulo segue liderando o ranking histórico. O Tricolor Paulista tem 613 vitórias em 1353 confrontos disputados até hoje. O Cruzeiro, que perdeu para o Vasco no fim de semana, vem em segundo, tendo saído vitorioso em 578 dos 1337 duelos em que esteve em campo.
CLUBES COM MAIS VITÓRIAS NA HISTÓRIA DO BRASILEIRO
– Desde 1971
1º – São Paulo – 613 vitórias
2º – Cruzeiro – 578 vitórias
3º – Internacional – 575 vitórias
4º – Grêmio – 566 vitórias
Corinthians – 566 vitórias
6º – Santos – 560 vitórias
7º – Flamengo – 559 vitórias
Atlético-MG – 559 vitórias
9º – Palmeiras – 549 vitórias
10º – Fluminense – 492 vitórias

TOP 4

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...